sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Quando não sou eu

As vezes olho no espelho e não me vejo. Cabelos escuros, "trevas" (inverso das luzes), compridos, não sou eu ... Acabo de cortar os cabelos tão curtos que foram embora quase todos os escuros. Ficaram ainda mais brancos e isso não me espanta. A Bia, cabelereira japonesa, que um dia errou na dose e deixou meu cabelo azulado, ainda sugere passar uma henna. Não quero arriscar mais nada. Hoje eu acho que gosto dos meus brancos. Ate quando, não sei, mas agora ao me olhar no espelho me vejo inteira no meu tempo e idade.
Léa Penteado enviado do meu Blackberry

Nenhum comentário:

Postar um comentário