quarta-feira, 28 de outubro de 2009

A fila anda

Não estava prestando atenção ao que passava na TV, até ouvir que a reportagem era sobre a obra do Jorginho Guinle, uma exposição em algum lugar no Rio. Não conheci Jorginho, mas acho sua trajetória interessante. Uma vez encontrei Marco Rodrigues, em alguma festa e contou sobre umas "coincidências" geniais na relação tão dificil que teve com a herança do Jorginho... Bom, quando olho para a TV me deparo com uma mulher falando sobre o assunto, e bem embaixo do rosto a legenda com seu nome. Fiquei alguns segundo olhando a legenda, vendo a figura, chocada com a viagem no tempo. Também não conheço a mulher - gente, parece coisa de bêbado! - mas há muitos anos estive com ela em algum evento social, acompanhei suas fotos nas colunas e agora constato como o tempo passou. Estava ela ali, elegante, com o mesmo estilo de cabelo chanel, maquiagem em torno dos olhos e rugas marcando as feições... Ficou todo o rosto um pouco mais flácido, porém a expressão continuava verdadeira, nada de photoshop ou botox. Comecei a imaginar que as pessoas que também que não me veêm há muito tempo, que não acompanharam o surgimento de minhas rugas, o enbranquecimento dos meus cabelos, as bochechas mais caídas, também devem levar o mesmo susto quando numa foto aparece a legenda com meu nome ou quando me "reapresento" em público...
Frase feita e óbvia : o tempo passa para todos. Mas é legal quando constato que pessoas, mesmo as que mal conheço, continuam envolvidas com seu ofício, souberam fazer a fila andar com dignidade...

Nenhum comentário:

Postar um comentário