domingo, 26 de julho de 2009

Meus passarinhos


Entre as boas coisas de viver em Vila de Santo André é estar em contato com a natureza. Sempre tive plantas em casa, carrego vasinhos para os lugares onde trabalho, mas este contato profundo e diário foi um presente dos céus....Moro cercada de árvores e durante quatro anos aprendi a reconhecer o canto dos passarinhos, distinguir o pardal do sabiá, acompanhar um urutau que se instalou no jardim por muitas semanas, a sentir falta dos cardeiais que durante um tempo sumiram do jardim, e a me deliciar com a alegria do sanhaço azul, a ouvir os bem-te-vis na varanda ... Os beija-flores com seu rabo de tesoura, todos os dias, por volta das 10 da manhã vem namorar os hibiscos. E ainda tem as andorinhas que chegam em bando no fim do dia e parecem papel picado no céu, as maritacas que fazem barulho de manhã e a tarde, as corujas piando na madrugada, o sangue de boi, vermelhinho com bico branco que é um escandalo de beleza, só superado pelo tom laranja do "sofrê".

Costumo dizer que Deus fala comigo através dos pássaros e das borboletas, por isso num dos primeiros dias que cheguei para morar em São Paulo e um passarinho e uma borboleta foram me acompanhando na rua, recebi o fato como bom presságio. No apartamento em que moro no bairro do Itai Bibi tem uma pequena varanda onde coloquei algumas plantas e percebi que mesmo no alto do 11andar uns passarinhos ousavam chegar. Como faço na Bahia, passei a colocar a casca do mamão todas as manhãs e hoje a minha varanda é visitada por muitos passarinhos... Até mesmo em dia de chuva ! O zelador do prédio disse que eles fazem sujeira nas varandas, e eu tento explicar que prefiro esta sujeira que a poluição dos carros e ônibus, e fico feliz com os pedacinhos de mamão que deixam cair no chão... Assim sinto que estou em casa A foto não é das melhores, mas dá para ver...

Um comentário:

  1. - Mande um abraço pro porteiro do prédio, diga-lhe (em pensamento)que sinto muito por ele, há! há! há! há!

    ResponderExcluir