domingo, 17 de maio de 2009

Simonal


Fui ao cinema, sessão das duas no shopping Frei Caneca, assistir ao Simonal. Fiquei com um nó na garganta da primeira a última cena. "Ninguem sabe o duro que dei" é a história de alguém que tinha para ser tudo e acabou tão cedo de maneira tão triste... So hoje constatei que ele era 11 anos mais velho do que eu e morreu aos 62 anos... Muito jovem...
Quem primeiro me chamou atenção para a voz de Simonal foi meu irmão Victor. Eu devia ter pouco mais de 16 anos quando ouvi "Nanã". Era surpreendente... Alguns anos depois como jornalista conheci o cantor, e a vida deu voltas, através de amigos ficamos ainda mais próximos e nossos filhos, o dele Max, e o meu Bernardo, foram batizados juntos...Ouvi muitas noites ele dando "canja" no Flag em Copacabana... Cantava "Tatuagem", de Chico Buarque deslumbantemente... Quando estava escrevendo o livro "Um Instante Maestro" fiz uma entrevista com ele. Já doente, deprimido, mas acho que colocamos alguns pontos nos íis... Hoje assistir ao filme deu uma enorme saudade... Saudades dele, saudades de pedaços da minha vida... Também tive vergonha, muita vergonha do que fizeram com ele... Eita Brasil...

Nenhum comentário:

Postar um comentário